fbpx

A Blocktime Coworking está dividida em duas unidades, Coworking Heroes, voltada ao público da economia colaborativa e a Coworking Saúde e Bem-Estar, para os profissionais da área.

Coworking Heroes:
Rua Galeno de Almeida, 188 – São Paulo

Contato:
coworking@blocktime.com.br
+55 11 3055-3400

Nossa sede está a 150 metros do Metrô Sumaré.

Coworking Saúde e Bem-Estar:
Rua Artur de Azevedo, 289 – São Paulo

Contato:
contato@blocktime.com.br
+55 11 3062-5824

Próximo a estação de Metrô Oscar Freire.

Empreender é tomar decisões difíceis. Você já demitiu um cliente?

Homem com expressão no rosto de preocupação

Empreender é tomar decisões difíceis. Você já demitiu um cliente?

Entenda por que você não vai falir ou ter prejuízo se for preciso demitir alguns clientes 

Quando a gente toma a decisão de abrir um negócio, a tendência é focar apenas nas informações positivas e buscar referências de sucesso. No entanto, se o seu objetivo é empreender com foco, é importante voltar sua atenção para as partes nem tão boas.

Assim como acontece em qualquer setor da nossa vida, nossa empresa vai passar por momentos de alegria e de tensão. A questão aqui é: você está preparado para tomar decisões difíceis?

Para te ajudar, vamos compartilhar as principais informações sobre relações no contexto empresarial. A seguir, você vai descobrir como fazer a melhor opção diante de situações que pedem que você escolha entre se indispor com um cliente ou com um grupo. 

Com quem fazer negócio?

Para empreender com foco e fazer com que a empresa evolua, um dos principais desafios é lidar com pessoas, sejam colaboradores, fornecedores, entre outras. Geralmente, os clientes são os que mais recebem nosso cuidado.

Afinal, eles são os responsáveis por fazer com que a gente tenha lucro. Mas, e quando estamos diante de um cliente que pode prejudicar nosso trabalho? Nesse caso, é preciso avaliar com cuidado e pensar na possibilidade de demiti-lo.

Imagem mostra ambiente de trabalho em coworking

O que está por trás de uma demissão?

A palavra demissão é temida por todos, principalmente nas relações entre empregador e funcionário. Se você já esteve do lado de quem demitiu ou foi demitido, deve saber que esse processo não é confortável para nenhuma das partes.

Esse tipo de quebra de vínculo acaba gerando uma sensação negativa, principalmente para quem é desligado. Não é à toa que, quando somos funcionários, o fantasma da demissão fica nos rondando. 

Mas, como a gente já disse, quem está do outro lado também sente um certo incômodo. Você está eliminado a única fonte de renda de uma família, por exemplo. É por essa razão que a decisão de demitir deve ser avaliada com riqueza de detalhes.

No contexto  empresarial, demitir alguém pode ajudar ou atrapalhar a produtividade. E isso acaba interferindo em outros contextos, como o financeiro, trabalho em equipe, entre outros. Portanto, a palavra de ordem é sempre ponderação.

E o que isso tem a ver com demitir um cliente?

Dependendo da relação que sua empresa tem com determinados clientes, ao invés de serem uma solução, eles podem se tornar um problema. Assim como acontece com os funcionários, existem diversos motivos para que você tome a decisão de demitir um cliente.

Esse, certamente, é um dos principais desafios de empreender com foco. Afinal, estamos lidando com quem pode gerar lucro para a empresa e, inclusive, pode indicar os serviços ou produtos para outras pessoas.

É por isso que, assim como acontece com os colaboradores, você deve analisar com cautela todos os motivos dessa demissão para não criar problemas para sua empresa. Lembre-se de que não estamos falando de algo tão simples.

Quais são os motivos para demitir um cliente?

Nessa onda de #cancela ou #fulanocancelado, temos que pensar nas consequências desse processo. Então, antes de sair demitindo todo mundo por razões supérfluas, é preciso que você se atente para os seguintes motivos que justificam sua decisão:

Pagamento: Seu cliente paga o que seu produto ou serviço vale ou pede tanto desconto a ponto de fazer você não lucrar com a venda?  Esse é um motivo para a demissão, principalmente se ele “esquece” de pagar ou nunca paga o valor combinado. 

Respeito: As relações éticas também devem permear o contato com seu cliente. Empreender com foco é estabelecer limites, não pensar no lucro em detrimento da imagem de sua empresa e na forma como você e seus funcionários são tratados.

Ética: Negociar preços é bom e saudável para os dois lados, mas isso também tem um limite. Um cliente que quer tirar vantagem o tempo todo a ponto de se apegar em alguma falha sua ou da sua equipe está te dando motivos para ser demitido.

Arrogância: Muitas pessoas acham que podem usar a conta bancária como artifício para humilhar e denegrir a imagem de seus colaboradores. Se isso não for resolvido, esse problema pode atingir proporções enormes. 

Imagem mostra equipe de trabalho

Demitir ou resolver o problema com o cliente?

A demissão de um cliente passa por um processo e um conjunto de situações. Você não pode correr o risco de perder uma boa negociação por conta de um fato isolado. Por isso, o ideal é pensar em estratégias que melhorem a relação.

A primeira coisa que você deve fazer é cortar o mal pela raiz para não deixar que situações desconfortáveis se prolonguem ou gerem outros problemas. Na primeira vez que seu cliente atrasar o pagamento ou faltar com respeito, sinalize isso.

Uma conversa séria e enérgica vai te ajudar a empreender com foco e dar uma chance para que seu cliente reveja seu comportamento. Caso ele te envie e-mails arrogantes e com ESCRITO EM CAIXA ALTA, resolva o problema dele e relembre as políticas da empresa. 

Lembre-se de que existem problemas e problemas. Se o problema do seu cliente não for urgente, explique a situação e diga que existe uma política de ações pautadas em prioridades. 

Em resumo, converse franca e diretamente com ele, não espere as coisas piorarem para resolver e deixe claro quais são as regras de relacionamento com cliente. Se nada funcionar, você saberá demitir com tranquilidade e sem se sentir mal por isso.

Qual é a melhor maneira de demitir um cliente?

Demitir um cliente não é o mesmo que terminar um relacionamento afetivo. Ele não é seu amigo e vocês têm uma relação comercial. Tendo isso em mente, mas sem perder as regras de boa educação e cordialidade, informe que a quebra de relação.

Se ele tiver pago por um produto ou serviço, faça o reembolso e explique o motivo. Peça desculpas pelo transtorno e informe que, para o bem comum, você não tem mais interesse em mantê-lo como cliente. 

Outra forma de empreender com foco e demitir o cliente com estratégia é esperar pelo fim do contrato. Nesse caso, informe que você não tem mais interesse em renovar contrato. É melhor lucrar menos do que se ver diante de situações complicadas.

O que podemos aprender com tudo isso?

Em primeiro lugar, jamais permita que um cliente inverta os papéis e decida preços, condições de atendimento e relevância dos problemas. Essas atitudes cabem a você. Cuidado com os chamados “clientes da casa”.

Alguns podem se aproveitar do tempo em que estão com sua empresa para querer tirar vantagens em cima disso. Evite tratar clientes de forma diferenciada para eles não usarem isso para tomarem decisões em seu lugar.

Por fim, lembre-se de que empreender com foco é pensar que nem tudo vai ser fácil e você não precisa ter medo de perder contratos. Sua empresa vai se destacar no mercado pela qualidade do produto e excelência no atendimento. Valorize isso.


João Marcos Guirau

Graduado em Arquitetura e Urbanismo pelo SENAC SP, é fundador da Blocktime Coworking e sócio do grupo Blocktime, referência em operação e otimização de escritórios. Entusiasta da economia compartilhada, participa ativamente de grupos relacionados ao tema e adquiriu conhecimento e expertise em arquitetura e design para coworkings, sendo responsável pela gestão operacional dos espaços. Atua, desde 2015 como organizador do Encontro Coworking Brasil e apoiador de muitas das iniciativas relacionadas a este universo, está sempre buscando mais conhecimento sobre novas formas de trabalho, participando frequentemente de conferências internacionais sobre o tema.