fbpx

A Blocktime Coworking está dividida em duas unidades, Coworking Heroes, voltada ao público da economia colaborativa e a Coworking Saúde e Bem-Estar, para os profissionais da área.

Coworking Heroes:
Rua Galeno de Almeida, 188 – São Paulo

Contato:
coworking@blocktime.com.br
+55 11 3055-3400

Nossa sede está a 150 metros do Metrô Sumaré.

Coworking Saúde e Bem-Estar:
Rua Artur de Azevedo, 289 – São Paulo

Contato:
contato@blocktime.com.br
+55 11 3062-5824

Próximo a estação de Metrô Oscar Freire.

Como fazer um bom pitch? Descubra 5 dicas valiosas!

Imagem mostra lousa com palavra Pitch escrita

Como fazer um bom pitch? Descubra 5 dicas valiosas!

A Blocktime Coworking separou para você um conteúdo que vai te ajudar a ser destaque nos palcos do empreendedorismo. Preparado?

No mundo do empreendedorismo o pitch é famoso, conquistou seu espaço e veio pra ficar! Agora, realizá-lo de maneira a gerar bons negócios, excelentes vendas e conquistar altos investimentos, já é outra história.    

Caso você esteja começando e não tenha ideia do que estamos falando, fique tranquilo, nós da Blocktime Coworking estamos aqui para te ajudar a entender de vez o que é e, como fazer um bom pitch pode alavancar de vez seus negócios!

Quer fazer com que a sua empresa seja trend topic na disputa entre investidores? Fique com a gente e acompanhe o conteúdo que separamos pra você!

Imagem mostra pessoas fazendo reunião em sala

Pitch, mas do que se trata?

O pitch nada mais é que uma apresentação curta, rápida e objetiva a respeito de uma ideia, produto ou serviço. Se jogarmos no google a tradução livre, encontraremos a palavra arremesso, o que faz todo sentido. 

Ele tornou-se famoso entre as startups que, para conquistar investidores, tinham apresentações curtas para “arremessar”, ou lançar, suas ideias, apostando que alguém as “pegaria”. 

Esse termo se popularizou e hoje, é utilizado não só para startups, mas para todo tipo de apresentação curta necessária para convencer alguém de algo. Os pitchs podem ser usados para apresentações de candidatos em processos seletivos, para defesa de projetos para área executiva da empresa, para a área escolar, etc. 

Mas nós da Blocktime Coworking queremos focar em você, empreendedor que precisa melhorar seu pitch para “vender” a sua empresa, seja para investidores ou para parceiros de negócio. Por isso, separamos algumas dicas que vão fazer do seu pitch algo impecável. 

Continue com a gente e aprenda como fazer um bom pitch com as cinco dicas que escolhemos para você! Preparado? Bora lá!

 

Foco, foco, e foco!

Não esqueça nunca: o pitch foi criado para trazer objetividade nos discursos! É preciso demonstrar para o público o quanto você possui credibilidade, consistência e segurança no seu negócio. 

Evite termos muito complexos e busque uma linguagem fácil de assimilação. Termos técnicos e siglas não caem muito bem, a não ser que o público-alvo entenda bem do assunto. 

Por isso, atente-se ao tempo disponível e busque trazer os dados necessários para despertar no ouvinte o desejo de conhecer e saber mais do seu negócio. Use o palco, encante quem pode mudar a vida da sua empresa!

Imagem mostra pessoa escrevendo planejamento

 

O tempo ao seu favor

Sempre! Existem alguns tipos de pitches e a diferença entre eles está no tempo. Por isso, atente-se a essa informação para adaptar o pitch. O tempo pode variar de um a vinte (raras exceções) minutos. 

Em pitches de 1 minuto: focar na objetividade, usar como tópicos os pontos básicos (problema, solução, público e diferencial) e não utilizar material de apoio;

De 3 a 5 minutos: focar no aprofundamento dos dados, acrescentar aos tópicos básicos a equipe, o crescimento e o mercado e analisar se vale a pena a utilização de material de apoio;

De 7 a 10 minutos: focar na preparação de um material de apoio de qualidade e adicionar aos tópicos as projeções financeiras;

Até 20 minutos: não esquecer de manter a objetividade e se preparar, principalmente, para manter a atenção da audiência por meio de uma narrativa que desperte interesse e curiosidade no público.   

 

Responda as perguntas certas

Existem certos questionamentos que não podem ficar a desejar no pitch. Por isso, ao elaborá-lo, faça o check-list. Aí vem eles: 

  • Qual é o problema que a sua empresa oferece resolver?
  • Por que esse problema é tão importante?
  • Como as pessoas podem resolvê-lo?
  • Quais soluções existem no mercado (concorrência)?
  • Por que a sua empresa oferece a melhor alternativa?
  • Qual o valor para desenvolver?
  • Quanto custa a solução?
  • Quanto é preciso investir?
  • Quais os ganhos para quem se interessar?

Não deixe nenhum deles de fora, ao responder a essas perguntas, você abordará tudo que é necessário para gerar interesse.

 

Planejar é essencial

Tudo na vida só funciona bem com planejamento e, com o pitch, não podia ser diferente. Mesmo porque a senhora sorte anda um pouco cansada né? Confiar no improviso pode te deixar em apuros, por isso, planeje-se!

Monte sua apresentação de uma forma que fique fluida para o público e para você! A estruturação do pitch é o segredo, pois, se a ordem estiver definida (e muito bem ensaiada), os imprevistos não irão te impedir. 

Defina seu objetivo, o que você quer conquistar após a apresentação, quem você busca atrair, etc.

 

E se você achou que as perguntas não viriam…

Ainda que seu pitch seja impecável, as perguntas virão! E você precisa estar preparado! Afinal, quem melhor do que você para defender seu negócio? Por isso, estude seu público, desperte curiosidade com a intenção de que as perguntas venham e busque respondê-las com confiança e autoridade no assunto. 

E aí? Preparado para o palco inicial da sua carreira de empreendedor de sucesso? Conseguimos te ajudar com ideias de como fazer um bom pitch? Nós, da Blocktime Coworking, queremos te ajudar a crescer cada vez mais. Quer mais dicas? Acompanhe nosso conteúdo sempre por aqui!


João Marcos Guirau

Graduado em Arquitetura e Urbanismo pelo SENAC SP, é fundador da Blocktime Coworking e sócio do grupo Blocktime, referência em operação e otimização de escritórios. Entusiasta da economia compartilhada, participa ativamente de grupos relacionados ao tema e adquiriu conhecimento e expertise em arquitetura e design para coworkings, sendo responsável pela gestão operacional dos espaços. Atua, desde 2015 como organizador do Encontro Coworking Brasil e apoiador de muitas das iniciativas relacionadas a este universo, está sempre buscando mais conhecimento sobre novas formas de trabalho, participando frequentemente de conferências internacionais sobre o tema.